Pecado

Como explicar tal sentimento repentino

Que são capazes de me deixar

Sem ar

Com pensamentos sórdidos

E alucinantes

Entorpecentes do meu corpo

Veneno da minha alma

Meros admiradores

Da sua beleza

Tão calma…

Que soa como êxtase nos meus olhos

E toca suavemente

Como uma breve canção

Do inferno

Que se funde no céu.

De forma peculiar

Você se torna minha rotina

Meu sorriso

Meu olhar

Que de cansados

Voltaram a brilhar

Se é recíproco?

Faço questão de não saber

E assim

Guardarei pra mim

Só pra não te perder.

Anúncios

Talvez

Quando foi que aconteceu?

Me perguntei enquanto perambulava pela praia, indaguei, e fiz um percurso completo entre os dias, os momentos e os olhares. Ainda assim, não achava um momento certo, um olhar certeiro ou uma frase completa, entre nós.

Raciocinei, e pelo pouco que vi, percebi que talvez fosse cedo, cedo para os dois. Observei nele, um pouco de mim, uma vontade de querer aquilo que não se pode ter, senti nele uma pureza, um desejo de amar e ser amado. Ora, é o que todos sonhamos, não acha? Mas, por mais óbvio que soasse, ainda havia algo, desconhecido.

Talvez tenha acontecido entre os abraços, entre os doces abraços. Confesso que após o terceiro, minhas intenções caçoavam das minhas dúvidas. Parecia tão errado, e ao mesmo tempo tão claro, como algo inconsciente e intuitivo.

Encontrando ou não, ele ainda representava o meu desejo mais improvável. Alguém que eu verdadeiramente perderia horas admirando por entre os raios solares, daquele jeito natural, carregado de um olhar sincero e um tanto arrogante.

Em meio as borboletas que rondam na minha barriga, me ponho a questionar se a pergunta que tanto assombra, não precisa ser respondida. E se ela fosse vista de forma retórica, ou melhor, e se ela fosse respondida através de todas as minhas lembranças, todos os pequenos toques, todos os sorrisos, e as palavras, que ele soltava ao vento. Levemente, sem perceber o efeito que elas causavam em mim.

Ele tá distante de tudo que eu já vivi, e por isso, é perdidamente excitante, e apavorante imaginar o que será de nós.

E mesmo assim, ainda prefiro prosseguir.

Amor

Deitados

Excitados e cansados

Após alguns orgasmos
Estávamos… extasiados

Buscando uma súbita força

Pra talvez

Iniciar tudo novamente

Jovens, éramos jovens

Gozar era o que queríamos

Fazer amor

era o que desejávamos

Sentir prazer

Isso já era esperado

Meu amor

Como eu te amava

Amava ouvir os seus gemidos

E os seus toques

Gostava das suas teorias

E a sua bela sintonia

Venerava seu sorriso

Seu corpo

Sua alma

Que eu sempre me perdia

Pouco a pouco

Viciei no seu beijo

Abracei teus problemas

E assim

Caímos juntos

Num precipício

Que se chamava

Amor

Despedida

Quando eu olhei você, senti uma breve atração, mas imaginei que seria algo passageiro, como uma brisa leve, você passou e despertou coisas incríveis em mim. Suspirei.

Passei muito tempo me perguntando se gostar de você era certo ou errado. Cheguei à conclusão que não existe uma resposta pra isso. Que na verdade só depende do ponto de vista.

Uma parte de mim acredita que você me enxerga como uma amiga, e a outra parte procura não deduzir o que você poderia me considerar, afinal de contas, só você sabe o que realmente sente ou poderia sentir.

Porém, eu sei muito bem o que eu sinto. Lembro nitidamente da sensação que você me trazia. Seus olhos intensos e profundos, me lembravam o mar, e o brilho do sorriso representavam o pôr do sol. Seu abraço tão sincero, era o amor.

Tudo aconteceu como um insight, expontâneo, forte e inesquecível. Você me encantou, de corpo e alma, e embora eu não ligasse muito para o amor, percebi que todas as minhas teorias estavam erradas.

Me apaixonei pelo seu amor com o mundo. Sua mente aberta, seu coração cheio de bondade e sua intenção de fazer o bem sem ver a quem. Na verdade, você me mostrou o quanto o hábito de transbordar amor é lindo.

Sempre tive a certeza que nunca esqueceria você. Já que, o amor e a amizade que construímos em pouco tempo mostrou a conexão que tínhamos. Sei que as circunstâncias não estão muito ao meu favor, mas isso não tira a beleza das coisas, e muito menos o que eu sinto por você, apenas me lembra que na vida temos a dádiva de sentir algo tão puro sem pedir nada, nadinha em troca.

Não sei se você tem outro alguém, ou se nunca olharia pra mim com esses olhos. Por isso, estou aqui me declarando, contando uma parte do que eu sinto por você. Dúvidas nunca fizeram sentido pra mim, e guardei essa por muito tempo.

Acredito que agora seja a hora de receber as respostas que eu tanto desejo. Seja como for, quero dizer que tentei, e mais do que isso quero agradecer por ter me transmitindo tantos sentimentos bons em pouco tempo, espero reecontra-lo nessa ou em outras vidas.

Acredite, tentei compreender se essa seria a melhor forma, se isso tudo era necessário, e percebi que a jornada é feita de escolhas e tentativas, e que eu nunca ficaria sabendo o que fazer com relação a isso se não compartilhasse com você.

Gratidão amor, você foi o doce da minha adolescência, o anjo no momento mais turbulento da minha vida, me motivou a ser uma pessoa melhor, e cativou seus detalhes nas pequenas coisas da vida.

Do fundo do meu coração, você foi uma das melhores pessoas que eu já conheci na minha vida, e independentemente de qualquer coisa, sei que a sua amizade é o mais importante. Com muito amor, sua flor.

Cansei.

Sabe, cansei de pensar se você sente algo por mim. Cansei de observar você, e sentir a sua dor. Cansei da maneira como me trata, e das suas mentiras.

Cansei da sua falta de afeto e sua mania de me usar a noite em seus surtos de carência.

Cansei dos seus toques falsos e suas promessas vazias. Cansei de doar o meu amor.

Cansei de tentar enxergar o seu melhor quando na verdade você só enxerga o meu brilho quando convém.

Cansei dessa sensação de amar por dois, e principalmente, por que não adianta eu sonhar, que será recíproco, já que está claro que você é corvade demais pra voltar atrás e ser sincero pelo menos uma vez comigo.

Eu não fui cega, e muito menos enganada.

Você sempre foi o mesmo, permaneceu indiferente esse tempo todo, e eu, ingênua demais, pensei que seria perfeito, mas acabei esquecendo que o perfeito não existe.

Deixei-me consumir pelo pior sentimento, o nojo. Criei minhas fantasias e elas não serviram pra nada no final.

Eu nunca consegui conversar com você, e muitos menos me sentia segura em seus braços, minhas noites eram claras, e o fato de você estar ao meu lado me trazia angústia.

E com o silêncio dos nossos olhares e conversas, eu só sentia o bater do meu coração.

Não nos importamos em usar alguém, mas ficamos decepcionados quando somos usados. Você simplesmente não se importa com o que eu sinto, e nunca se importará.

Mas não é problema, até por que sempre tive tudo, e todos, menos quem eu mais queria, você.

Eu não sou nada pra você, mas meus gritos de prazer e desespero não significam nada sem você.

Não quero deixa-lo, e não é fácil pra mim dizer isso, mas estou indo fundo demais por palavras embriagadas.

E momentos vazios.

Como havia dito, cansei.

Não de você, mas da sua falta de amor, por mim.

Paradoxo

Você me deixa confusa

E eu juro que seria mais fácil

Se você deixasse as coisas claras

Mas não

Me expulsa e depois puxa

E completamente largada permaneço

Suplicando migalhas de afeto

De atenção

“Ora, não faça drama” – ele diz

E eu respondo

Ora não me faça

Morrer de dúvidas

Gritando mentalmente

Surtando lentamente

Desejando o óbvio

Esperando algo além

Do que você deixa

Transparecer.

Fico no impasse

Me perguntando se devo

Ir ou ficar

Me parece tolo qualquer opção

Mas é preciso que haja uma

Porquê

Qualquer certeza é melhor que

Essa angústia

Qualquer verdade é melhor

Do que as entrelinhas

Que você espera que eu

Decifre.

Suspiros e suspiros

Eu não aguento mais

Esse silêncio

Eu não aguento mais…

Me sentir mal

Por sentir tanto

Me parece ilógico

Sofrer

Por pequenas vírgulas

Aliás,

Malditas vírgulas

Me ame ou me deixe

Mas me dê um

Ponto

Final.

Se extravasa

E me acaba

Mas me diz a real

Porque assim,

Meu eu insiste em

Permanecer.

E se for

Pra ficar na estante

Me recuso

E desisto

De tentar

Amar

Você e as suas mil

Possibilidades

Você e o seu belo

Paradoxo.

Me desculpa,

Mas eu estraguei tudo.

D, de desilusão.

Meu pequeno amor estava desmoronando aos poucos, e minha garganta estava travada, sem palavras.

Apenas um silêncio. Longo…

Suas palavras sinceras, soaram de forma arrogante, mas foram perfeitas.

Tão perfeitas, que me fizeram cair.

Sem hesitar ou reclamar, elas me derrubaram sem que eu pudesse me proteger.

Confesso, o meu fascínio repentino assustava, uma espécie de obsessão, ou melhor, paixão.

A típica paixão…

Daquelas que você sente o céu e o inferno em frações de segundos, daquelas que você só percebe o quão tola está sendo, quando acaba.

Como eu li num livro

“Eu sou a ilusão…”

E sou mesmo, e pra ser sincera não me arrependo de nada.

É irritante como as sensações ficam estupidamente sensíveis, e é melancólico como tudo perde o sentido.

Mas após a ressaca do mar, nos resta a beleza, a beleza de tudo que passou.

Meu doce, tão doce…

Nem tudo é tão simples como os seus cafunés, nem tudo é tão fácil como as risadas que você costuma tirar atoa.

Nem tudo é tão intenso como as minhas intenções, e esse é o equilíbrio.

Equilíbrio de querer e não ter.